Hierarquias de mundos invisíveis By Eliel Roshveder


Se observarmos um segmento de DNA de dupla hélice, notaremos que se assemelha a uma árvore. Os dois filamentos que compõem o DNA enrolam-se formando uma espiral. Nos genes estão todas as informações biológicas de um organismo que devem ser repassadas para seus descendentes. Sabe-se que são mínimas as variações do DNA entre os seres vivos. Nos seres humanos, homens e mulheres possuem 22 pares (coincidentemente, o mesmo número de letras do alfabeto hebraico) de cromossomos autossomos e um par de cromossomos sexual que definirá a sexualidade do indivíduo. (Genótipo feminino – XX, masculino – XY)
Hierarquias de mundos invisíveis
Hierarquias de mundos invisíveis 


Quando ocorrem mutações nos cromossomos, em sua estrutura ou em quantidade, podem ocorrer doenças e deformações. Genoma é todo o conjunto de GENES de um organismo. Se observarmos um segmento da dupla cadeia de nucleotídeos de um DNA, as quatro bases nitrogenadas conhecidas pelas iniciais A, C, G e T, combinam-se aos pares sequencialmente permitindo milhões de combinações que seriam o código genético de cada indivíduo.





A foto microscópica de um DNA também se assemelha a um diagrama ou esquema matemático.

Hoje é anunciado ao mundo que cientistas conseguem deter o envelhecimento de órgãos em ratos. Uma equipe de cientistas americanos diz ter encontrado os mecanismos genéticos para melhorar o sistema crucial que "limpa e recicla" as proteínas defeituosas nas células.

Cientificamente o DNA pode ser considerado a ÁRVORE DA VIDA. Como a ciência é cética em relação ao mundo espiritual, é certo que o homem esteja manipulando segredos divinos da criação, sem noção real das conseqüências futuras.





Que ADONAI nos conceda entendimento e sabedoria.

Albasgodel





Existe uma ligação entre a Sephiroth da cabala e o DNA, a árvore da vida no DNA? É claro que existe, mas a Sephiroth é muito mais profundo, não é apenas no DNA e sim o esquema do Sephiroth atinge todo o mundo, todos os arquétipos do cosmos.

A Sephiroth é a árvore da vida da Cabala e nela estão contidos todos os segredos, da mesma forma que no DNA dos seres vivos há grandes segredos que agora estão sendo desvendados pelos cientistas visando o aprimoramento e a cura da espécie humana.





Hoje o trabalho com células tronco leva a ciência para segredos profundos recriando a vida, recriando cada célula, cada molécula.





O homem passa a ter contato com o grande segredo do Éden que levou o homem a ser expulso do paraíso, a árvore da vida, que é tanto a Sephiroth da cabala como o DNA de todo ser vivo e especialmente o DNA humano que os cientistas estão trabalhando através de ‘células tronco’ sendo esta a nova fronteira da ciência rumo à longevidade.





O estudo das Sephiroth e destes desafios da nova ciência que altera o DNA é importante para entendermos a relação das hierarquias e dominações no controle do planeta.





O mundo passa por grandes mudanças rumo à era aquariana, onde a terra entrará em contato com outros mundos do universo, por isso as hierarquias e dominações lutam pelo controle do homem e esta luta acontece nas Sephiroth.





A maioria dos cabalistas não crêem na dualidade, na existência do poder do mal em oposição ao poder divino, nós que acreditamos na dualidade vemos que pela Daath o mal tenta infiltrar seu controle sobre a raça humana, cada homem que ele controlar será um ponto importante no domínio do universo, na eterna guerra da luz contra o caos, na eterna guerra entre hierarquias e dominações.





O rabi Yeshua é o único que pode apontar o caminho ao homem, pois ele conseguiu ir de Malcut a Kether, a coroa, vencendo as forças do caos, as forças da Daath, ele deixou a Daath se espalhar dentro dele quando recebeu em si os pecados da humanidade para os cravar na cruz liberando o humano que o aceitar.





Na cruz ele isolou as forças da Daath e quando ressuscitou atingiu a Kether, a coroa, abrindo caminho para a raça humana atingir o topo da Sephiroth, a vida eterna.





Ao ressuscitar ele venceu a árvore da vida, a Sephiroth, se tornando parte do drama da eternidade, do drama da luta humana contra as forças do caos que procuram se irradiar da Daath.





A cruz por este ponto de vista era uma árvore da vida, uma Sephiroth, onde ele venceu a energia do caos irradiada para controlar a espécie humana esmagando as quiplots ou peles da serpente, ou seja, nossos eus negativos que sempre tentam nós controlar. É por isso que ele foi crucificado num madeiro, o madeiro representando a árvore da vida. Mas tudo é analogia, pois a árvore da vida, A SEPHIROTH, é sagrada, pura, o que ele venceu no caso foi a Sephiroth negativa, draconiana, que tem sua raiz na Daath e ocupa todo o corpo criando um astral inferior, um corpo carnal dominado pela Yetzer Hara, a nossa inclinação para o mal.





Cabala especulativa e prática





A Cabala especulativa, que incorpora e se impõe sobre a Cabala prática, é mais teórica. Ela lida com certas questões, tais como, a maneira pela qual um Deus infinito pode criar e se relacionar com um mundo físico e finito. Segundo a Cabala, a resposta para tal questão é: através da mediação.

A mediação é efetuada por intermédio de anjos, bem como por intermédio das dez emanações de Deus, denominadas Sephiroth.

Essas Sephiroth, conforme escreveu o rabino Waxman, “são manifestações tanto da essência [de Deus] quanto dos agentes de Sua vontade” na terra. “É por meio dessas manifestações que o mundo não apenas veio a existir, como também tem sido preservado, organizado e governado”.[1] As dez Sephiroth juntas são simbolicamente representadas pela figura de um corpo humano, ou pela árvore da vida, ou por círculos concêntricos, ou ainda, pela luz em suas diversas gradações.





Fonte

http://www.beth-shalom.tv.br/artigos/cabala.html





[1] Ibid., p. 362





Esta concepção dos agentes manifestando a obra do Eterno para o ser humano resume o livro hierarquias e dominações, no entanto a energia de Daath tinha controlado toda a existência humana, foi preciso se manifestar o varão perfeito, Yeshua, para isolar a Daath cravando-a na cruz e assim o ser humano pode vencer o poder das hierarquias e dominações do caos que sempre controlaram o homem.





Relembrando que a Daath não é negativa, ela é a árvore da ciência do bem e do mal que Adão e Eva provaram no Éden recebendo o livre arbítrio. A Daath é nosso livre arbítrio, pode ser instrumento de luz, de reconstrução, se fizermos as escolhas certas. Só que também pode ser instrumento da escuridão, do caos e da morte se escolhermos as coisas erradas adentrando na Cabala Draconiana, na Sephiroth negativa.





As hierarquias do caos sempre controlaram o homem, pois o homem tem inclinação natural para o pecado adquirido no pecado original.





Os cabalistas usam Adão e Eva como agentes do pecado original, no entanto isso é simbólico, pois Adão e Eva foram à quinta raça criada na terra, desde a primeira raça os pecados já escravizaram o homem, foi preciso surgir um agente especial para quebrar o cerco das quiplots sobre o ser humano e apontar o caminho para a Kether, a coroa, foi preciso Yeshua fazer o Tzimtzum, descer a matéria, descer da luz suprema para este mundo obscuro, para o caminho da luz surgir para cada ser humano que segue seus passos, que segue sua luz.





* * *

0 comments:

Post a Comment

Read free eBooks, English Fiction, English Erotic Story

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter